quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

LIVRO DA SEMANA

Em época de Natal, propomos a leitura desta obra:




Histórias de Natal

de

Fabrice Lelarge e Anne-Marie Frisque


O lobinho dentes-afiados tinha tanta vontade de receber um presente de Natal, oferecido pelo veado-Natal, que durante um ano teve um comportamento irrepreensível.


Bem, pelo menos era o que achava...


O doutor Xarope, preocupado com a gordura do pai Natal, obrigou-o a uma dieta tão grande, que depois as renas, não o reconhecendo, se recusaram a levá-lo no trenó.


Que fez o Pai Natal para poder entregar todos os presentes?


CONCURSO CHERUB

Decorreu, ontem, terça-feira, dia treze, na nossa escola o Concurso CHERUB, promovido pela Porto Editora, em articulação com a Biblioteca Escolar.

Consistiu, numa primeira fase, na leitura da obra O recruta, da autoria de Robert Muchamore, incluído na coleção CHERUB e, numa segunda fase, na realização de uma ficha de leitura(teste de avaliação de conhecimentos) sobre a mesma.


Contámos com a presença de dez alunos:

- Sara Lemos, Carina Moita - 7º A

- Ana Catarina Pereira, Alice Garrido, Teresa Lésico - 7º C

- João Machado Coelho - 8ºB

- Manuel Barroso - 8ºC

- Ana Valente, Andreia Grilo, Rita Ramalho - 9º B


A todos os participantes foram atribuídos certificados de participação e uma caneta, da Porto Editora.

Foram ainda oferecidas uma t-shirt e uma obra da coleção acima referida aos quatro alunos primeiros classificados:

-Ana Valente

-Andreia Grilo

-João Machado Coelho

-Carina Moita


Parabéns a todos pela sua participação e empenho e continuem a ler, porque Ler engrandece a alma.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

LIVRO DA SEMANA

Às dez a porta fecha



de



Alice Vieira






Na casa da chaminé vive muita gente. A Branquinha, que em cada dia é mãe de uma pessoa diferente; a D. Joaquina, que sonha com o teatro que nunca fez; a marquesa, que se chama Amélia e se imagina ainda no tempo em que havia reis; a D. Madalena, que nunca há-de deixar de ser professora; e muitos outros-num pequeno mundo, donde ninguém pode sair depois das dez da noite. Um mundo povoado de estranhas histórias, que fazem com que o Gimbras, que vive num bairro degradado ali perto, fuja constantemente de casa para lá se esconder.







AUTOR DO MÊS

LUÍS PIÇARRA


Luís Raul Janeiro Caeiro de Aguiar Barbosa Piçarra Valterazzo y Ribadanayra nasceu em Moura a 23 de junho de 1918 e faleceu em Lisboa a 23 de setembro de 1999.
Ficou conhecido principalmente por ter sido autor do hino do Sport Lisboa e Benfica.
Enquanto frequentava o 1º ano de Arquitetura da Escola de Belas Artes de Lisboa, já sentia uma forte atração pelo canto. Começou por ter aulas com o barítono D. Fernando de Almeida e, mais tarde, com a cantora lírica Hermínia de Alagarim, estreando-se em público, num concerto na Academia dos Amadores de Música, onde cantou uma seleção de árias do “Barbeiro de Sevilha”. Embora tenha frequentado ainda durante mais dois anos as Belas Artes, acaba por se dedicar inteiramente como profissional à sua vocação.
Começa assim uma carreira que o levou às sete partes do mundo, Brasil, Argentina, Egito, Líbano, Grécia, Itália, Espanha, Suíça, França, Moçambique, África do Sul, Angola…dando centenas de concertos, passando pelo teatro (ópera e, sobretudo, dezenas de operetas e revistas), pelo cinema (como entre outros o filme Pão Nosso de Armando de Miranda), em que interpretou pela primeira vez O meu Alentejo.
Em Portugal foi atuando ao longo de toda a sua carreira pela maior parte das salas de espectáculo do país.
Gravou, por esse mundo fora, várias centenas de discos, obras de vários géneros, como, Fiandeira, Granada, Amor é Lume, (da ópera Salúquia, de João Camilo) Santa Maria dos Mares, Colorado, Pourquoi me reveiller, L´Amour est si près de la peine, Copacabana, Questa o quella, Avril au Portugal (versão francesa de Coimbra de Raúl Ferrão), Una furtiva lacrima, Aguarela do Brasil e muitos mais, sem esquecer o Ser Benfiquista.
Em 1950, em Paris atua com Edit Piaff no show ”This is Europe” e em novembro de 1950, fixa-se em Paris, onde interpreta o principal papel na opereta Colorado no teatro municipal Gaitè Lyrique.
Viveu em Luanda, onde desempenha o papel de diretor do Centro de Preparação de Artistas da Rádio e foi professor de canto teatral na Academia de Música durante alguns anos. Em 1975 regressa a Portugal. Doente, acaba por perder a voz. Entretanto ainda publica um livro de memórias e escreve e compõe uma opereta, inspirada no Mário de Silva Gayo, que nunca chega a ser posta em cena.
Em 1985, recebe a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique.
Faleceu em 1999, em Lisboa, de cancro.

http://elfado.x-centrico.com/?cat=133

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

LIVRO DA SEMANA



O Despertar da Primavera

de

Wedekind


Peça de juventude, tem a vitalidade de todas as obras novas. Wedekind escreve-a em 1890, e ela é já, como as peças do impressionismo o virão a ser depois, uma peça com tema: o despertar da sexualidade. Este tema é desenvolvido com a afirmatividade e a concisão de quem sobretudo levanta uma bandeira da liberdade. É o Homem inteiro, o Homem que as ciências e as ideologias descobrem nos finais do século, que está em causa na peça de Wedekind.

Mais do que definir um estilo, marcar um momento da história do teatro, representar um autor, O Despertar da Primavera é um vibrante processo dos direitos do homem à sexualidade.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

AUTOR DO MÊS





Alfred Bernhard Nobel

Nasceu a 21 de outubro de 1833 em Estocolmo, na Suécia. Nobel foi o inventor da dinamite, da gelatina explosiva e de outros explosivos. Nobel ficou famoso ao criar o mais importante prémio do mundo, concedido anualmente a personalidades que tivessem contribuído para a paz e para o progresso de diversos ramos do saber. Fez seus primeiros estudos em Estocolmo e na cidade russa de São Petersburgo, onde o pai, engenheiro, instalou uma fábrica de nitroglicerina. Aos 16 anos já era químico competente e falava fluentemente inglês, francês, alemão e russo, além de sueco. Completou a especialização em química, em França, e depois trabalhou nos Estados Unidos. De volta a São Petersburgo, trabalhou na fábrica do pai, onde tentou aperfeiçoar a nitroglicerina líquida, inventada em 1846 pelo italiano Ascanio Sobrero. Após a falência do estabelecimento do pai, em 1859, Alfred Nobel regressou à Suécia e trabalhou na fabricação de explosivos à base de nitroglicerina líquida. Um acidente com a substância provocou a morte de seu irmão mais novo, Emil. Proibido pelo governo de reconstruir a fábrica e estigmatizado como "cientista louco", Nobel continuou a pesquisar a maneira de minimizar o perigo de manusear a nitroglicerina, o que conseguiu ao misturá-la com um material inerte e absorvente. Pôde então aperfeiçoar a dinamite e o detonador e desenvolver um explosivo mais poderoso, a nitroglicerina gelatinizada. Nobel acumulou grande fortuna com suas patentes e com a exploração de poços petrolíferos na Rússia.
O trabalho intenso durante toda a sua vida não lhe deixou muito tempo para a vida pessoal; tinha apenas uma grande amiga, Bertha Kinsky, que lhe transmitiu os seus ideais pacifistas que iriam contribuir para a criação de uma fundação com o seu nome, que promovesse o bem-estar da Humanidade.
Sem filhos e abalado com a utilização de seus inventos para fins bélicos, legou os seus bens a uma fundação encarregada de premiar aqueles que se destacassem pela sua contribuição para o bem da humanidade. Assim, no seu testamento, havia a indicação para a criação de uma fundação que premiasse anualmente as pessoas que mais tivessem contribuído para o desenvolvimento da Humanidade. Em 1900 foi criada a Fundação Nobel que atribuía cinco prémios em áreas distintas: Química, Física, Medicina, Literatura (atribuídos por especialistas suecos) e Paz Mundial (atribuído por uma comissão do parlamento norueguês). Em 1969 criou-se um novo prémio na área da Economia (financiado pelo Banco da Suécia), o Prémio de Ciências Económicas em memória de Alfred Nobel. Mas de facto, esse prémio não tem ligação com Alfred Nobel, não sendo pago com o dinheiro privado da Fundação Nobel, mas com dinheiro público do banco central sueco, embora os ganhadores sejam também escolhidos pela Academia Real das Ciências da Suécia. O vencedor do Prémio Nobel recebe uma medalha Nobel em ouro e um diploma Nobel. A importância do prémio varia segundo as receitas da Fundação obtidas nesse ano. Assim, nasceu o Prémio Nobel, concedido todos os anos pela Real Academia de Ciências da Suécia.
Alfred Nobel morreu em San Remo, Itália, a 10 de dezembro de 1896.

http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_1349.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alfred_Nobel

LIVRO DA SEMANA

O romance de Rita R.

de

Ana Saldanha


"Um computador portátil usado, a preço irresistível. Não resisti. Só passados dias o liguei. Estava a transbordar de documentos! Não abri nem um. Se encontrasse um diário também não o leria. Eu tenho princípios.
Tentei encontrar o vendedor, sem resultado. Que fazer? Não tinha alternativa: ouvi o audio-diário da Rita. Era um diário típico de uma adolescente. Li também as receitas, as tentativas de escrever um romance, olhei para as fotografias, li os e-mails. E o pequeno mundo que me apareceu à frente era sólido e completo.
Enviei tudo ao meu editor. Com dificuldade, consegui convencê-lo de que, desta vez, a ficção era uma história real, realmente contada pela sua protagonista. Tenho a esperança de um dia vir a conhecer pessoalmente a Rita R. "

SUGESTÕES DE LEITURA



Este mês sugerimos a leitura das seguintes obras:

Marley & Eu, John Grogan

A mentira sagrada, Luís Miguel Rocha





O nome da rosa,Umberto Eco














Siddharta, Hermann Hesse


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR




DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR




Para comemorar o dia da biblioteca escolar, a biblioteca desenvolveu várias atividades: Bibliopaper(7ºB -Formação Cívica), produção de textos sobre as vantagens da leitura(11ºB,D-Francês e 12º C -Português) e ainda incentivo ao empréstimo domiciliário (banca de livros em diferentes espaços da escola).
Aqui deixamos alguns dos textos produzidos:



Turma 11º B/D – Francês
Le livre est agréable, comme le sable de la mer. Il nous calme et nous réconfort.
Yvann
La lecture est un voyage à travers un monde de charme !
Samuel
Si vous voulez augmenter votre autonomie, allez à la bibliothèque et changez votre théorie.
Visitez-la ! Elle vous attend !
João Chamorro
J´aime beaucoup notre bibliothèque parce qu´elle me permet de faire beaucoup de choses, par exemple : étudier, lire et faire de recherches.
Si vous voulez vous concentrer, la bibliothèque vous devrez rechercher !
Francisco
Le livre est une partie de quelqu´un, il rend l´être humain immortel !
Teresa
La lecture est très importante pour chacun de nous, parce qu´elle nous enseigne toutes les perspectives du monde réel et imaginaire !
Teresa
Notre bibliothèque est agréable!
Lire, c´est une très bonne expérience et très enrichissante.
Un livre, c´est un trésor !
Augusto Botelho



Turma 12º C - Português
A leitura é o virar da esquina para a rua do conhecimento !

Ler é a chave universal que abre o portal da sabedoria !


Ler é o lindo e surpreendente caminho que todos devemos trilhar de forma empolgante !


Carla, Raquel, Inês Zita, Lúcia, Carolina e Maria Lúcia

LIVRO DA SEMANA

Hoje, dia 24 de outubro, comemora-se o DIA DA BIBLIOTECA ESCOLAR.
Como sugestão de leitura para esta semana propomos: O prazer da leitura, de vários autores(Mário Cláudio, Francisco José Viegas, João Aguiar, Lídia Jorge, Luísa Costa Gomes, Manuel Jorge Marmelo, Maria Teresa Horta, Filipa Melo, Nuno Júdice e Rui Zink).

Boas leituras!

terça-feira, 18 de outubro de 2011

LIVRO DA SEMANA

O Romance do Adolescente Míope , de Mircea Eliade



O manuscrito deste livro foi encontrado num sótão de Bucareste.


É a "vida imediata" de um adolescente precoce e atormentado que Mircea Eliade descreve, na altura em que tem a mesma idade que o seu herói.


Tudo é desvendado dia após dia com um impudor inocente, embora impiedoso: os defeitos dos professores, as conspirações dos alunos, os seus desejos sexuais, as primeiras aventuras eróticas, a descoberta da sua própria identidade... mas também a necessidade de escrever que está colada ao corpo do narrador.


Um "romance dentro do romance". Uma espécie de "pequena fábrica de literatura".




terça-feira, 11 de outubro de 2011

LIVRO DA SEMANA



ESTEIROS

de

Soeiro Pereira Gomes


Esteiros. Minúsculos canais, como dedos de mão espalmada, abertos na margem do Tejo. Dedos das mãos avaras dos telhais, que roubam nateiro às águas e vigores à malta. Mãos de lama que só o rio afaga.


Esteiros é a história contada da realidade de muitos que sobreviveram e pereceram aos Esteiros do rio e à constante agressão de uma sociedade sem dó e com uma autoridade senhorial.


(...) A manhã é ainda um pressentimento, mas já no quartel o despertador anunciara o dia. Os valadores deixaram a tarimba, que não acalenta fadigas; tactearam as pás, ao canto; e, depois de enganarem as bocas com naco de pão mais duro que a tarimba, meteram-se ao esteiro.
- Vamos a isto antes que a maré suba.

As pernas resvalaram no lodo até aos joelhos, e a humidade arrepiou-as.(...)

domingo, 9 de outubro de 2011

NOBEL DA LITERATURA

TOMAS TRANSTRÖMER


O poeta sueco Tomas Tranströmer foi agraciado na passada quinta-feira com o Nobel da Literatura.
Nascido em 1931, Tranströmer também é tradutor. Estudou História da Literatura, Poética, História da Religião e Psicologia na Universidade de Estocolmo, adquirindo o título de bacharel em Artes.
Estreou-se como lírico em 1954 com a obra “ 17 poemas", que teve um enorme sucesso, seguindo-se "Segredos a caminho", quatro anos mais tarde.


A Academia Sueca afirmou que o poeta de 80 anos foi lembrado "porque, através de suas imagens condensadas, translúcidas, ele nos dá um novo acesso à realidade".


Tomas Tranströmer escreve sobre a morte, a história, a memória e é conhecido pelas suas metáforas.





LISBOA


No bairro de Alfama os eléctricos amarelos cantavam nas
Subidas.


Havia duas prisões. Uma delas era para os gatunos.


Eles acenavam através das grades. Eles gritavam. Eles queriam ser fotografados!




"Mas aqui", dizia o revisor e ria baixinho como um afectado


"aqui sentam-se os políticos". Eu vi a fachada, a fachada, a fachada


e em cima, a uma janela, um homem,


com um binóculo à frente dos olhos, espreitando


para além do mar.




A roupa pendia no azul. Os muros estavam quentes.


As moscas liam cartas microscópicas.


Seis anos depois, peguntei a uma dama de Lisboa:


Isto é real, ou fui eu que sonhei ?


(Tradução por Luís Costa)


CLUBE DE LEITURA - Arcádia Arucitana

Neste novo ano letivo, a biblioteca escolar pretende dar continuidade à atividade de promoção da leitura desenvolvida através do seu clube: Arcádia Arucitana.


-Se gostas de ler e gostarias de fazer parte deste clube, não percas tempo, inscreve-te!

-CLUBE DE LEITURA-

O QUE É?
Um clube de leitura é o espaço e o tempo em que diferentes leitores se reúnem para trocar ‘cromos’ de leitura.

QUE ESPAÇO?
A biblioteca escolar.

QUE TEMPO?
Quartas- feiras, das 14.30-15.30h

QUEM?
Todos aqueles que gostem de ler e enriquecer a sua experiência de leitura pela partilha de opiniões.

QUE OBRAS?
Aquelas que a RBE/ PNL sugerem e/ou outras que suscitem a tua curiosidade e espicacem a imaginação.

COMO PODES PARTILHAR A TUA OPINIÃO?
Sendo membro do clube.


Para isso, PREENCHE a Ficha de Inscrição na Biblioteca Escolar.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

LIVRO DA SEMANA

Recados da mãe, de Maria Teresa Maia Gonzalez



" (...)-Pode ser que a mãe tenha pedido a esse pássaro para ir ter contigo à tua sala, para te fazer companhia...

A ideia era boa de mais, mas tão apetecível que não resisti a perguntar:

- Achas que a mãe, agora, pode falar com os pássaros, Clara?...

- Porque é que não há-de poder? Ela não está no céu? os pássaros não andam por lá também? Então?!

Os olhos encheram-se-me de lágrimas da mais pura alegria (...)"



Da cumplicidade entre duas irmãs e da sua capacidade para enfrentar a mais difícil situação das suas vidas se faz este livro escrito com a mestria e a sensibilidade de Maria Teresa Maia Gonzalez

domingo, 2 de outubro de 2011

SUGESTÕES DE LEITURA

Aqui vos deixamos as sugestões para o mês de outubro.
Boas Leituras!!!



























sábado, 1 de outubro de 2011

AUTOR DO MÊS




Manuel José de Arriaga Brum da Silveira nasceu na cidade da Horta em 8 de julho de 1840.

Foi durante o período em que estudava na Universidade de Coimbra para se "formar em leis", no contato com outros estudantes e professores e na leitura de outras formas de pensamento, que aderiu ao ideário republicano. Em 1876 fez parte do grupo que estudou o plano de reforma da instrução secundária. Foi membro do Diretório do Partido Republicano depois de 31 de Dezembro de 1891.

Em 1882 foi deputado da minoria republicana. A par da sua atividade profissional, Arriaga foi fazendo o seu percurso político sem ódios nem exageros, o que, desde logo, lhe granjeou simpatia por parte dos seus correligionários e do povo. Era um orador admirado. Fez comícios ainda durante a monarquia, pugnando por uma sociedade mais justa, com menos privilégios e mais acesso ao ensino. Mais tarde, o Governo Provisório nomeou-o Procurador-Geral da República.
Em agosto de 1911, já com 71 anos, Manuel de Arriaga é eleito Presidente da República.

O mandato de Manuel de Arriaga desenrola-se num período agitado. Os governos sucedem-se por escassos meses. Oito mudanças na presidência do Governo, desordens nas ruas, reacções violentas contra a Igreja e movimentos de monárquicos. Por fim, Manuel de Arriaga convida o Dr. António José de Almeida para chefiar o governo, mas perante a recusa deste, opta então por Afonso Costa que até 1917, foi o político mais influente da vida portuguesa. Afonso Costa consegue reduzir o défice, mas a instabilidade e a luta entre os Partidos é constante, agora agravada com a tensão internacional de 1914, que iria desembocar na Primeira Grande Guerra. No início desta, há forte pressão sobre as colónias portuguesas de África sendo a jovem república portuguesa confrontada com demasiados problemas. Tentando evitar o pior, Manuel de Arriaga escreve aos três líderes dos partidos (Camacho, Afonso Costa e António José de Almeida) para se entenderem, para que se consiga formar um "ministério extrapartidário", mas Afonso Costa reagiu mal. O Presidente da República aconselha então a demissão do Governo presidido por Vítor Hugo de Azevedo e, para acalmar o exército, toma uma atitude, de que mais tarde se vai arrepender, ao chamar ao governo o general Pimenta de Castro, que já fora Ministro da Guerra no tempo do governo chefiado por João Chagas. Arriaga conhecia-o e confiava nele. Joaquim Pereira Pimenta de Castro escolhe para os ministérios sete militares, não permite a reabertura do Parlamento, amnistia os monárquicos condenados, altera a lei eleitoral e vai governar como ditador.
Os parlamentares, reunidos secretamente a 4 de maio, no Palácio da Mitra, declaram Arriaga e Pimenta de Castro fora da lei e os seus atos nulos. A 14 de maio de 1915 há uma revolta contra Pimenta de Castro, desencadeada pelo Partido Democrático, que conta com o apoio da Marinha e começa uma autêntica guerra civil. Perante isto, o bondoso e pacifista Manuel de Arriaga só pode tomar uma atitude: abandonar o cargo, o que faz a 26 de maio. Escreve uma carta aos seus ministros e outra ao Congresso, saindo da presidência sem honra nem glória, passando rapidamente a ser considerado um "criminoso político”.
Em 1916 publicou, um livro intitulado Na Primeira Presidência da República Portuguesa, um verdadeiro testamento da sua acção política.
Morreu em Lisboa a 5 de março de 1917, dois anos depois de ter abandonado a Presidência da República.




DIA DO DIPLOMA

-Decorreu ontem, dia 30 de setembro, na nossa escola, a cerimónia de entrega dos diplomas aos alunos de mérito (aos que continuam connosco o seu percurso e àqueles que terminaram o 12º ano).
A todos os contemplados, os nossos parabéns e que o futuro vos continue a sorrir!



Sara Semião - Melhor aluna 12º Ano




As atividades de animação (pequeno sketch e momento musical) estiveram a cargo do núcleo Amigos da Biblioteca, a quem agradecemos pela disponibilidade e empenho demonstrados.









































quinta-feira, 29 de setembro de 2011

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO

No DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO, a biblioteca escolar e o JES desenvolveram uma atividade na biblioteca, a qual consistiu numa instalação, visionamento de um filme, realização de pequenos trabalhos/produção de texto e distribuição de marcadores de livros sobre o tema em comemoração.


Esta atividade realizou-se em articulação com as disciplinas de Língua Portuguesa, Geografia e Francês de 9º e 11º anos.




Alimentos Nocivos








Alimentos Saudáveis









Agradecemos a todos os participantes, professores e alunos.

Aqui deixamos alguns dos textos produzidos:

-Para mim, o desporto é o hábito mais saudável para o coração. - Alice Tomé, 9ºA


-Eu gosto tanto de tortas de Azeitão, mas isso faz mal ao coração. - Samuel, 9º A

O coração faz-te viver
Se ele pára, vais morrer
Come o que te faz bem
O que faz mal não convém! - Manuel Matos, 9º B

Comida saudável vou comer
E exercício físico fazer
Para doenças no coração
Não ter! - Andreia Grilo, 9º B

- O coração é um órgão muito importante do nosso corpo, que nós devemos cuidar muito bem, com alimentação saudável e exercício físico. - Vera Branco, 9º A

Para mim, hábitos prejudiciais para o coração, são:
- Comer fast food com muita regularidade;

- Ter uma vida sedentária;
- Abusar de gorduras, açúcar e sal. - Margarida Guerreiro, 9º B

Alimentos a consumir para ter um bom coração:
- Muita água;
-Legumes;
-Frutas. - Eduardo Lemos, 9º B

DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO




Hoje, dia 29 de setembro, comemora-se o DIA MUNDIAL DO CORAÇÃO.


Visita a nossa biblioteca, onde encontrarás uma pequena exposição(instalação) alusiva ao tema. Nela, poderás identificar hábitos bons e maus para este órgão vital do nosso corpo.


Não te esqueças que para teres um bom coração, trata bem dele, faz uma alimentação saudável e pratica exercício físico!


Aqui deixamos um vídeo sobre como bem tratar o coração.
http://youtu.be/-TdEkpb7Xfc

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

DIA DO DIPLOMA

No próximo dia 30 de setembro pelas 12h terá lugar a cerimónia de entrega dos diplomas aos alunos de mérito e aos alunos que terminaram o 12º ano de escolaridade em 2010/2011.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

LIVRO DA SEMANA



Ninguém perguntou por mim

António Mota


A vida em Montepó continua a decorrer ao ritmo das estações do ano.

Os gémeos já cresceram e são rapazinhos traquinas, com comportamentos próprios da idade.

Abílio e Ana Teresa sonham com um futuro diferente .

Descobrem rapidamente que a vida nem sempre é fácil... Mas, embora haja decisões difíceis de tomar, todos os sonhos continuam a ser possíveis.

Abílio aprende também que o conhecimento é a melhor ferramenta que podemos arranjar para sairmos airosamente da mediocridade.


Uma história comovente, repleta de sonho e esperança.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

DIA INTERNACIONAL DA PAZ

O Dia Internacional da Paz é comemorado anualmente a 21 de setembro.
É uma iniciativa, a nível mundial, estabelecida pelas Nações Unidas em 1981.

Celebremos este dia com um poema da autoria do aluno Rúben Carrilho do 12º ano, turma D.



PAZ

A Paz não se vende

A Paz não se compra

Queremos Paz

Para todo o sempre!



Um dia a Paz

Iremos comemorar

E com o coração aberto

Iremos festejar!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

LIVRO DA SEMANA



UM ANO PARA ESQUECER,



de Martha Freeman


O quê?! Belletoona?! Na Pensilvânia?!

Não, não podia ser verdade...Só podia ser uma piada... de muito mau gosto!!! Deixar as maravilhosas e quentes praias da Califórnia, os amigos e Josh, o namorado surfista (podre de giro) para ir viver na triste e sombria Pensilvânia? Realmente os pais de Kate só podem ter enlouquecido! É que a cidade de Belletona é tão má quanto Kate tinha imaginado: neva a toda a hora, o que obriga a usar toneladas de roupa; não existem pizarias ao virar da esquina: os vizinhos são um pouco estranhos; os novos colegas de escola odeiam-na... Mas Kate não baixa os braços e muito em breve irá mostrar aos pais que este foi o ano em que eles lhe arruinaram a vida...


-Enfim, um livro divertido!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

SUGESTÕES DE LEITURA





Propostas de Leitura para o mês de Setembro











segunda-feira, 12 de setembro de 2011

LIVRO DA SEMANA

Tudo o que tenho trago comigo

de

Herta Müller*


* Prémio Nobel da Literatura 2009

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

AUTOR DO MÊS

Neste Ano Internacional da Química, comemoram-se os cem anos:

-da atribuiçãodo Prémio Nobel da Química a Marie Sklodowska Curie pela descoberta dos elementos rádio e polónio e pelo estudo dos seus compostos.
-da descoberta do núcleo atómico por Ernest Rutherford.




MARIE CURIE



Aqui fica a nossa homenagem a Marie Curie, uma das mais brilhantes cientistas do século 20. Ela superou inúmeros obstáculos e preconceitos para levar adiante um trabalho que possibilitou avançarmos na compreensão da física nuclear.


Marie Curie nasceu em Varsóvia, Polónia, em 7 de Novembro de 1867.
Estudou na Sorbonne, Paris, licenciando-se em física e em matemática.

Em 1894 conheceu Pierre Curie, professor na Faculdade de Física, com quem viria a casar-se e a partilhar os seus estudos na descoberta dos elementos químicos como o rádio e o polónio e radioatividade.
Foi uma cientista que exerceu a sua actividade profissional em França e a primeira pessoa a ser laureada duas vezes com um Prémio Nobel:

- de Física, em 1903 (dividido com seu marido, Pierre Curie, e com Becquerel) pelas suas descobertas no campo da radioatividade.

- de Química de 1911 pela descoberta dos elementos químicos rádio e polónio.

O elemento 96 da tabela periódica, o Cúrio, símbolo Cm foi baptizado em honra do casal Curie.
Morreu em França, em 1934, de leucemia, devido à exposição maciça a radiações durante o seu trabalho.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

RENTRÉE

Enquanto o novo ano lectivo se aproxima a passos largos, deixamo-vos com este lindo poema de Fernando Pessoa.


Bom regresso, bom trabalho e muito sucesso!














Liberdade

Ai que prazer
Não cumprir um dever.
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira sem literatura.
O rio corre bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa, de tão matinalmente original
Como tem tempo, não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto melhor é quando há bruma.
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

E mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças,
Nem consta que tivesse biblioteca...










































































































































































































































































































































































































































sexta-feira, 29 de julho de 2011

Clube de Leitura - "ARCÁDIA ARUCITANA"

5ª Sessão (01/06/11)

Apesar da 5ª sessão do clube ter sido há quase dois meses, não queremos ir de férias sem dar conta das leituras comentadas nesse dia.

Uma vez que no início de Junho, os alunos se encontravam a braços com fichas de avaliação e trabalhos de final de ano lectivo, a afluência ao clube foi menor, pelo que registamos as opiniões literárias de apenas dois membros do Arcádia Arucitana.

Assim, o Francisco, que não teve tempo para mais leituras do que aquelas estipuladas pelas diferentes disciplinas, remeteu-nos para um poema de Carlos de Oliveira lido na aula de Português.

SALMO
A vida é
é o bago de uva
macerado
nos lagares do mundo
e aqui se diz
para proveito dos que vivem
que a dor
é vã
e o vinho
breve.
Carlos de OliveiraCarlos de Oliveira

Por sua vez, o Manuel apresentou-nos O Professor de Quéops, de Albert Salvadd.

Trata-se de um romance onde há um mercador de escravos, uma princesa escrava e duas crianças com um destino promissor.

O Manuel recomenda o livro «porque apesar de ter algumas partes mais deprimentes tem boas descrições, por exemplo, os cenários de guerra, que nos transportam para lá.»



BOAS LEITURAS!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

TEMPO DE POESIA

No âmbito do estudo do texto poético, os alunos da turma C do 7º ano, na aula de Língua Portuguesa, deram asas à sua imaginação e criaram os seus próprios poemas.
Inspiraram-se, sobretudo, em Alexandre O´Neill e em Há palavras que nos beijam.





Há palavras que magoam



Há palavras que nos magoam
Como se tivessem mãos,
Palavras tristes, falsas
Que nos deixam cheios de desilusão

Há palavras de saudade
Que nos deixam esperança
E palavras de despedida
Que nos deixam amargura

Palavras interesseiras que magoam
Quando te mentem
Palavras de morte que enganam
Quando te desiludem!
Ana Soares


Há palavras que nos magoam
Como se tivessem mãos
Palavras feias, que destoam
De imensa desilusão.

Palavras tristes que vês passar
Quando te abandonam
Palavras que deixam saudades
Quando sentes que te enganam.

De repente, muito brilhantes
Entre versos sem amor
Queridas, desconcertantes
Como a tristeza e a dor.

Palavras que nos mudam
Onde o ódio é cada vez maior
À fala dos que choram
Onde a esperança é a pior!
Mariana Miguel



Há palavras que nos magoam
Como se tivessem punhais
Palavras de ódio e de tristeza
Que nos fazem chorar por demais

Palavras frias que odeias
Quando a noite fica quente
Palavras que se entristecem
Aos muros da tua felicidade

Palavras que nos levam
Aonde a tristeza é mais forte
Ao silêncio dos abandonados
Que escolhem vida ou morte!
Miguel Camacho



Há palavras que nos magoam
Como se matassem
Pessoas que choram, mas enganam
Que ficam como se não falassem.

Palavras bonitas me contaste
Mas de uma mentira não passaste
Na noite me enfeitiçaste
Como um horrível traste

Quando fugiste
Foste uma desilusão
Pois falhaste
Há saudade no meu coração!
Inês Frasquilho Coelho




A amizade numa vida


É como o desabrochar de uma flor
O germinar de uma semente
A descoberta do amor,
Uma música que contagia a gente!

Uma amizade bem vivida
Deixa a vida em festa
A natureza colorida, o amor
As montanhas e tudo que o nela resta.

Uma amizade de valor destrói qualquer tristeza,
Embala sonhos
Abre corações tristonhos e os enfeita
A amizade verdadeira, ninguém esquece
Dura a vida inteira e jamais envelhece!
Miguel Marques
















segunda-feira, 13 de junho de 2011

LIVRO DA SEMANA


O HOMEM QUE SABIA CONTAR

Malba Tahan*


Um humilde pastor persa do séc. XIII, Beremiz Samir, exímio no exercício da arte de calcular, é o protagonista deste livro.


O enredo ambienta-se no exotismo do Médio Oriente, mesclando aspectos da cultura islâmica, da herança grega e de outras grandes culturas, e reflecte com fascinante realismo o clima filosófico, religioso e social da época.



No universo narrativo são integrados curiosos problemas e enigmas matemáticos e lógicos, aparentemente complicados mas sempre iluminados pela simplicidade dos raciócínios que lhes proporcionam solução.



* Malba Tahan é o pseudónimo de Júlio César de Mello e Souza, um professor e autor de múltiplos talentos, entre eles o de contador de histórias tradicionais, que foi acima de tudo um pedagogo visionário, preocupado em reflectir sobre os métodos de ensino. A Matemática foi o terreno por excelência que escolheu para transmitir conteúdos pedagógicos de forma lúdica e divertida.

quinta-feira, 9 de junho de 2011

BIBLIOPAPER - Atribuição de Prémios

Bibliopaper


A Biblioteca Escolar procedeu à atribuição dos prémios referentes ao concurso Bibliopaper.


Os alunos contemplados pertencem às equipas classificadas em 1º lugar lugar e fazem parte das turmas 7ºA, 7ºB, 8ºA e 9ºA.


Cada um dos nove alunos recebeu um livro de aventuras oferecido pela Porto Editora.


A todos os alunos, quer os classificados na 1ªposição, quer os classificados na 2ª, foi-lhes oferecido um certificado de participação.




Parabéns a todos e boas leituras!