domingo, 16 de dezembro de 2012

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA


             
         Decorreu, 4ª feira, dia 12 de dezembro, a 1ª fase do Concurso Nacional de Leitura (nível de escola). As provas tiveram lugar na Biblioteca Escolar e desenvolveram-se em duas fases (prova escrita e prova oral). 
              Aqui ficam os resultados finais e a lista dos alunos participantes que tiveram direito a um certificado de participação e a um prémio.  
              A Biblioteca Escolar agradece à Porto Editora pelos prémios atribuídos. 

RESULTADOS FINAIS

3º CICLO DO ENSINO BÁSICO
1ª Classificada
 - Inês Cardoso – 9ºA – 58,5 pontos
2º Classificado
 -Tiago Barradas – 7ºB – 57,3 pontos
3º Classificado
 - Alex Seixas – 7ºB – 47,5 pontos
Nota: Estes três alunos estão apurados para a 2ª fase do Concurso, a nível distrital.

RESTANTES ALUNOS PARTICIPANTES
Fábio Caraça  -  7º B
Manuel Barroso  -   9º C
Manuel Prazeres  -  7º B
Maria João Barreiros - 7º B
Roberto Roque -  7º B


ENSINO SECUNDÁRIO
1º Classificado
 - Francisco Molho 12º C – 90 pontos
2ª Classificada
 - Rita Ramalho  10º D – 76 pontos
3ª Classificada
 - Inês Limpo  11ºB –  74 pontos

NotaEstes três alunos estão apurados para a 2ª fase do Concurso, a nível distrital.

RESTANTE ALUNO PARTICIPANTE
- Miguel Valente 12º A – 73 pontos








MESES (DES)ENCANTADOS


É Dezembro! É hora da Biblioteca Escolar abrir as portas à SOLIDARIEDADE! É tempo de todas as turmas de todos os anos se debruçarem sobre este tema, surgindo assim vinte e sete acrósticos dedicados a um dos sentimentos que deveria comandar o mundo. 
Albanesi disse que “Solidariedade é o amor em movimento”, e é mesmo!
         Vimo-lo no “entra e sai”, no “traz e leva”, no “toma lá, dá cá” e, depois, no mural onde só se vê Solidariedade, Solidariedade, Solidariedade!
            
                      Afinal é DEZEMBRO!












PRÉMIO PESSOA 2012

     O Prémio Pessoa 2012, no valor de 60 mil euros, foi atribuído ao investigador e especialista em Fernando Pessoa Richard Zenith.
     
        Este prémio é concedido anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período e na sequência de uma atividade anterior tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país.

       Richard Zenith tornou-se "cidadão de Portugal por dedicação e louvor a uma obra, a de Fernando Pessoa, uma literatura, a nossa, e uma língua, a portuguesa", explicou Pinto Balsemão durante o anúncio do prémio, no dia 14 de dezembro, no Palácio de Seteais.

         Natural de Washington DC, obteve a licenciatura em Letras (BA) na University of Virginia. Viveu na Colômbia  no Brasil e em França antes de se radicar em Lisboa, em 1987. 
     Trabalha, em regime de freelancer, como escritor, tradutor, investigador e crítico. É também conferencista sobre Fernando Pessoa, tradução literária e outros temas. 

LANÇAMENTO DE OBRA LITERÁRIA

     No início deste mês de dezembro, mais precisamente no dia um, na Adega da Mantana procedeu-se ao lançamento da mais recente obra da autoria de Valdemiro Correia, ex-professor da Escola Secundária de Moura, natural dos Açores, mas a viver em Moura há vários anos.
     Depois da Fisga, seu primeiro trabalho, segue-se Prisioneiros do Esquecimento, ambos sob a mesma temática: A Guerra Colonial.
    A apresentação da obra esteve a cargo do posfaciador professor José Joaquim Marques Chaparro, docente da Escola Secundária de Moura. 
    Para além do editor, o evento contou ainda com a presença de familiares, amigos, ex-colegas e outros convidados. Também alguns membros da equipa da Biblioteca Escolar da Escola Secundária de Moura  marcaram presença, desejando ao seu autor as maiores felicidades e muitos mais sucessos. Precisamos que a nossa escrita seja enriquecida com exemplos como este.
        Parabéns e Continue!

Nota: Esta obra será também apresentada na Biblioteca da Escola Secundária de Moura, no próximo mês  
          de janeiro.

        Enquanto que a Fisga é um livro de crónicas autobiográficas, Prisioneiros do Esquecimento - a outra face da guerra - na opinião do seu posfaciador " leva-nos numa viagem ao interior dos homens que fizeram a Guerra Colonial. Não se trata de uma abordagem à guerra em si, trata-se isso sim, de uma viagem, para que não caia no esquecimento, a um mundo pouco conhecido e até talvez desprezado, da sociedade contemporânea portuguesa".





CRUCIGRAMAS - SOLUÇÕES


A disciplina de Espanhol decidiu, uma vez mais, celebrar a ESPERANÇA.
Aqui vos deixamos alguns crucigramas sobre a temática elaborados pela turma D do 8º ano.
Resolve-os!




         HORIZONTALES                             VERTICALES
                                                                                  
           1. Infinitivo impersonal de hay          1. Sinónimo de experimentar
                 2. Sinónimo  de procurar                  2. Se hace cuando alguien lo necesita
          3.  Sinónimo de regresar                   3. Es cuestión de  la voluntad
          4.  Lo contrario de terminar              4. Es sinónimo de mirar
          5.  Sinónimo de conocimiento           5. Querer es…
          6. No se puede hacer sin alas           6. Sinónimo de lograr
          7. La acción de equivocarse             7. Es antónimo de salir
          8. Lo hacen los cantantes                 8. Es la acción pasiva de abandonarse
          9.  Sinónimo de modificar                 9. La acción de ver
        10. Verbo auxiliar                             10. Se usan pinturas para hacerlo
        11.  Sinónimo de molestar                 11. Sinónimo de andar
        12.  La acción de dar vueltas            12. Se puede hacer en barco o en avión
        13.  Sinónimo de permanecer
        14.  Sinónimo de caminar
        15. Lo contrario de ponerse


s
                      HORIZONTALES                                                                 


1             1.  Se necesita para respirar                                                         
              2.  Lo que se siente cuando muere alguien                     
3                  3.  Sin ella no somos nada                                                            
4                  4.  Es por donde entra la luz del día cuando están abiertas
5                  5.  Sinónimo de sitio
6                   6.  Es lo que todavía no se ha realizado
7                   7.  Es el motor del cuerpo que hace vivir
8                    8.  Es lo que siente cuando no se está seguro de algo
9                    9.  Sin ellos no se puede ver

                        
                       VERTICALES

            1.      Hay siete en la semana
            2.      Es lo que va para el cielo cuando uno muere      
            3.   Es la última cosa
            4.     Fuente de energía
            5.     Parte de tu cuerpo donde están los ojos
            6.  Sentimiento contrario a la alegría
            7.     Hay muchas en el arco iris
            8.     Lo contrario de posible

        SOLUÇÕES









sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

POEMA DA SEMANA

POEMA DE NATAL 


Era uma vez, lá na Judeia, um rei.

Feio bicho, de resto:
Uma cara de burro sem cabresto
E duas grandes tranças.
A gente olhava, reparava e via
Que naquela figura não havia
Olhos de quem gosta de crianças.

E, na verdade, assim acontecia.
Porque um dia,
O malvado,
Só por ter o poder de quem é rei
Por não ter coração,
Sem mais nem menos,
Mandou matar quantos eram pequenos
Nas cidades e aldeias da nação.

Mas, por acaso ou milagre, aconteceu
Que, num burrinho pela areia fora,
Fugiu
Daquelas mãos de sangue um pequenito
Que o vivo sol da vida acarinhou;
E bastou
Esse palmo de sonho
Para encher este mundo de alegria;
Para crescer, ser Deus;
E meter no inferno o tal das tranças,
Só porque ele não gostava de crianças.



Miguel Torga

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

MESES (Des)ENCANTADOS - balanço dos meses de outubro e novembro


ALGUMAS ATIVIDADES REALIZADAS PELA BIBLIOTECA ESCOLAR NOS MESES DE OUTUBRO E NOVEMBRO

Mês de OUTUBRO

Neste mês Internacional das Bibliotecas Escolares, cujo slogan é: “Uma chave para o passado, presente e futuro” e que a nossa Biblioteca também dedicou à AMIZADE, várias atividades preparadas ao longo do mês tiveram lugar.
      No dia 22 de Outubro, o passado, o presente e o futuro deram as mãos e num friso cronológico mostraram a evolução das bibliotecas ao longo do tempo. Conjugaram-se os verbos escrever, ler e escutar. Musicaram-se versos. Nas pontas dos pés, dançaram-se poesias. Poetas portugueses, espanhóis e franceses uniram-se num mesmo espaço e num mesmo tempo: o da Amizade em todos os outubros. Os de antes. Os de agora e os de sempre, porque enquanto houver no mundo alma de leitor, os livros serão eternamente folheados, lidos, sublinhados e guardados junto ao coração. É lá o melhor sítio!
       Nestas atividades contámos com as turmas: 7º B, 7º C, 8º B, 8º C, 10ºD, 10º E, 11º B, 11º D, 12º C e 12º F.








Mês de NOVEMBRO

Em novembro, a ESPERANÇA encheu a Biblioteca Escolar de contos que falam na ponta da língua e foi um deleite ver e ouvir seis maravilhosos contos contados, lidos, dramatizados e pintados pelos alunos de duas turmas de sétimo ano, três de oitavo, duas de nono, uma de décimo, duas de décimo primeiro e uma de décimo segundo.
Sobre os contos “Focinhito triste e o abafafor azul”, de Maria Rosa Colaço, “A felicidade não é o que temos, é o que somos”, de Luísa Dacosta e “Aventura com asas” também de Maria Rosa Colaço, destinados ao terceiro ciclo, foram feitas várias ilustrações e convidado o ilustrador Manuel Alves para, no dia dez de dezembro, ver os desenhos realizados pelos alunos, mostrar os elaborados por ele próprio e partilhar experiências artísticas.
Em relação aos contos “ A boca enorme”, de José Gomes Ferreira, “Assobiando à vontade”, de Mário Dionísio e “ O vagabundo na esplanada”, de Manuel da Fonseca, destinados ao ensino secundário, foram efetuados debates sobre as temáticas subjacentes (hipocrisia, injustiça social, discriminação, indiferentismo), questionado o lugar da Esperança no mundo atual e registadas as respetivas conclusões/máximas ideológicas.
Esta atividade, tendo como base a temática Esperança, prolongou-se pelo mês de dezembro, este, destinado à SOLIDARIEDADE e culminou numa deliciosa tarde de Recontos, acompanhada de guloseimas, chá e biscoitos. Tudo ficou de coração aquecido e boca adoçada, esperando o Natal. 

















terça-feira, 11 de dezembro de 2012

LIVRO DA SEMANA

        Nesta semana de dezembro e bem perto do Natal, sugerimos a leitura do livro "Manolito, o bixarrácu e o Presépio Encantado". Esta obra, da autoria de Maria Eugénia Fernandes, professora desta escola, e ilustrada pelo mourense Carlos Rico, reflete bem o espírito natalício que já nos envolve. 

Boas leituras!


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

SUGESTÕES DE LEITURA


      Neste mês de dezembro, cuja temática é SOLIDARIEDADE, deixamo-vos algumas sugestões de leitura que se enquadram no espírito natalício, que já se começa a sentir, e que apelam particularmente ao nobre valor da SOLIDARIEDADE.
      Boas leituras!




                 

POEMA DA SEMANA

Nesta primeira semana de dezembro, cuja temática é a SOLIDARIEDADE, deixamo-vos este lindo poema.


Mãos dadas  

Não serei o poeta de um mundo caduco.
Também não cantarei o mundo futuro.
Estou preso à vida e olho meus companheiros.
Estão taciturnos mas nutrem grandes esperanças.
Entre eles, considero a enorme realidade.
O presente é tão grande, não nos afastemos.
Não nos afastemos muito, vamos de mãos dadas.

Não serei o cantor de uma mulher, de uma história,
não direi os suspiros ao anoitecer, a paisagem vista da janela,
não distribuirei entorpecentes ou cartas de suicida,
não fugirei para as ilhas nem serei raptado por serafins.
O tempo é a minha matéria, do tempo presente, os homens presentes,
a vida presente.
Carlos Drummond de Andrade




LIVRO DA SEMANA

       Nesta primeira semana de dezembro, mês em que se celebra o Natal e cuja temática mensal é a Solidariedade, sugerimos a leitura da obra Fábulas de Jean de La Fontaine.

   
      As suas fábulas, escritas em linguagem simples e atraente, tratam histórias de animais, magistralmente contadas, contendo um fundo moral.


Fábula: O Leão e o Rato

      Certo dia, estava um Leão a dormir a sesta quando um ratinho começou a correr por cima dele. O Leão acordou, pôs-lhe a pata em cima, abriu a bocarra e preparou-se para o engolir.

     - Perdoa-me! - gritou o ratinho - Perdoa-me desta vez e eu nunca o esquecerei. Quem sabe se um dia não precisarás de mim?

     O Leão ficou tão divertido com esta ideia que levantou a pata e o deixou partir.

     Dias depois o Leão caiu numa armadilha. Como os caçadores o queriam oferecer vivo ao Rei, amarraram-no a uma árvore e partiram à procura de um meio para o transportarem.

    Nisto, apareceu o ratinho. Vendo a triste situação em que o Leão se encontrava, roeu as cordas que o prendiam.

   E foi assim que um ratinho pequenino salvou o Rei dos Animais.

Moral da história: Não devemos subestimar os outros.

sábado, 1 de dezembro de 2012

AUTOR DO MÊS


Neste mês de Natal, em que se celebra a Solidariedade, a Biblioteca Escolar decidiu homenagear Jean de La Fontaine, grande escritor francês conhecido pelas diversas fábulas com críticas de moral.
É considerado o pai da fábula moderna, sobre a qual declarou: "É uma pintura em que podemos encontrar nosso próprio retrato". 
De destacar a sua grande obra, Fábulas.



Data de nascimento - 8 de julho de 1621
Local de nascimento - Château-Thierry, Champagne, França
Data de falecimento -13 de abril de 1695 (73 anos), França
Ocupação - Escritor (poesia  e fábulas)










"Há que, na medida do possível, prestar favores a toda a gente: quantas vezes não precisamos de quem é menos do que nós."


Escreveu e reeditou muitas fábulas, entre elas, algumas de Esopo:

A Lebre e a Tartaruga
O Homem
o Menino e a Mula
O Leão e o Rato
O Carvalho e o Caniço
A Reunião dos Ratos
A Gansa dos Ovos de Ouro (e não a galinha)
A Cigarra e a Formiga
A Raposa e as Uvas
O Pavão Invejoso

MESES (DES)ENCANTADOS


Mês de dezembro (sobre a SOLIDARIEDADE)

Textos que aquecem - "Na Ponta do Coração"


Neste mês de Natal em que estamos mais atentos ao próximo, a Biblioteca Escolar resolveu ressaltar justamente o Valor da Solidariedade. Só ajudando aqueles que precisam é que podemos construir um mundo melhor!

Há que, na medida do possível, prestar favores a toda a gente: quantas vezes não precisamos de quem é menos do que nós.
Jean de La Fontaine



quarta-feira, 28 de novembro de 2012

CRUCIGRAMAS

A disciplina de Espanhol decidiu, uma vez mais, celebrar a ESPERANÇA.
Aqui vos deixamos alguns crucigramas sobre a temática elaborados pela turma D do 8º ano.
Resolve-os!




         HORIZONTALES                             VERTICALES
                                                                                  
           1. Infinitivo impersonal de hay          1. Sinónimo de experimentar
                 2. Sinónimo  de procurar                  2. Se hace cuando alguien lo necesita
          3.  Sinónimo de regresar                   3. Es cuestión de  la voluntad
          4.  Lo contrario de terminar              4. Es sinónimo de mirar
          5.  Sinónimo de conocimiento           5. Querer es…
          6. No se puede hacer sin alas           6. Sinónimo de lograr
          7. La acción de equivocarse             7. Es antónimo de salir
          8. Lo hacen los cantantes                 8. Es la acción pasiva de abandonarse
          9.  Sinónimo de modificar                 9. La acción de ver
        10. Verbo auxiliar                             10. Se usan pinturas para hacerlo
        11.  Sinónimo de molestar                 11. Sinónimo de andar
        12.  La acción de dar vueltas            12. Se puede hacer en barco o en avión
        13.  Sinónimo de permanecer
        14.  Sinónimo de caminar
        15. Lo contrario de ponerse


s
                      HORIZONTALES                                                                 


1             1.  Se necesita para respirar                                                         
              2.  Lo que se siente cuando muere alguien                     
3                  3.  Sin ella no somos nada                                                            
4                  4.  Es por donde entra la luz del día cuando están abiertas
5                  5.  Sinónimo de sitio
6                   6.  Es lo que todavía no se ha realizado
7                   7.  Es el motor del cuerpo que hace vivir
8                    8.  Es lo que siente cuando no se está seguro de algo
9                    9.  Sin ellos no se puede ver

                        
                       VERTICALES

            1.      Hay siete en la semana
            2.      Es lo que va para el cielo cuando uno muere      
            3.   Es la última cosa
            4.     Fuente de energía
            5.     Parte de tu cuerpo donde están los ojos
            6.  Sentimiento contrario a la alegría
            7.     Hay muchas en el arco iris
            8.     Lo contrario de posible

        Nota: As soluções serão publicadas brevemente!

ESPERANÇA

A ESPERANÇA continua a espalhar-se pela escola.
Aqui vos deixamos um bonito texto, da autoria da aluna Inês Limpo, do 11º ano, turma B.


Num mundo competitivo em que apenas os mais fortes sobrevivem, temos muitas vezes medo de mostrar as nossas verdadeiras cores. Temendo olhares rudes e comentários maldosos, não mostramos por completo o brilho da vela incandescente que é o nosso coração. Liberta-te! A caneta está na tua mão e o final da tua história só tu a podes escrever. Tão certo como o sol nascer todas as manhãs, tu encontrarás algo dentro de ti que te irá manter forte. Agarra-te a esse sentimento e nunca deixes de acreditar em ti! Vai para a rua e sente a chuva a cair-te na pele! Vive a vida de braços abertos! Encontra a emoção pelo teu caminho! Não ligues às vozes maldosas que ecoam lá no fundo! Mata os demónios que há em ti e nunca te sintas nada menos que perfeito! Tu podes ser o melhor! Um campeão! Podes mover montanhas e quebrar rochedos! Podes ser um herói, mas nunca o saberás ao certo se não tentares. Nunca te esqueças de sorrir, mesmo que a meta esteja longe e pareça inatingível, pois o mais importante é a jornada. Realiza os teus sonhos! Segue o teu coração e nunca, nunca olhes para trás. 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

POEMA DA SEMANA

Nesta última semana de novembro, cá vos deixamos mais um poema, um soneto do grande poeta Luís de Camões, sobre a  ESPERANÇA.



Não Pode Tirar-me as Esperanças
Busque Amor novas artes, novo engenho
Para matar-me, e novas esquivanças;
Que não pode tirar-me as esperanças,
Que mal me tirará o que eu não tenho.

Olhai de que esperanças me mantenho!
Vede que perigosas seguranças!
Pois não temo contrastes nem mudanças,
Andando em bravo mar, perdido o lenho.

Mas conquanto não pode haver desgosto
Onde esperança falta, lá me esconde
Amor um mal, que mata e não se vê.

Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde;
Vem não sei como; e dói não sei porquê.

Luís Vaz de Camões, in "Sonetos

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

LIVRO DA SEMANA

       
Nesta semana de novembro, ainda sob a alçada do valor da ESPERANÇA, recomendamos a leitura do livro Farda, fardão, camisola de dormir de Jorge Amado. 
Esta obra do escritor brasileiro tem como tema central a disputa, por parte do chefe da repressão política do regime e de um general da oposição, de uma vaga na Academia Brasileira de Letras. Recorrendo a personagens fictícios e históricos, Jorge Amado reconstitui o ambiente político e cultural dos tempos do Estado Novo, em especial no Rio de Janeiro.
Este livro reflete, assim, a esperança de encontrar um novo rumo para o Brasil daquela época, tentando oprimir as marcas de um regime simpatizante do nazismo.
Não deixe de ler esta obra e de refletir sobre temas que ainda hoje são tão atuais.

Boas leituras!