segunda-feira, 29 de abril de 2013

POEMA DA SEMANA



Esta semana deixamo-vos com estas inspiradoras palavras da poetisa Cecília Meireles. 


Poesia de Cecília Meireles

Pus-me a cantar minha pena com uma palavra tão doce, de maneira tão serena, que até Deus pensou que fosse felicidade - e não pena.
Anjos de lira dourada debruçaram-se da altura.
Não houve, no chão, criatura de que eu não fosse invejada, pela minha voz tão pura.
Acordei a quem dormia, fiz suspirarem defuntos.
Um arco-íris de alegria da minha boca se ergue apondo o sonho e a vida juntos.
O mistério do meu canto, Deus não soube, tu não viste.
Prodígio imenso do pranto: - todos perdidos de encanto, só eu morrendo de triste!
Por assim tão docemente meu mal transformar em verso, oxalá Deus não o ausente, para trazer o Universo de pólo a pólo contente!



quarta-feira, 24 de abril de 2013

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA - FASE DISTRITAL

Concurso Nacional de Leitura










Decorreram, em Cuba, no dia 19 de abril, sexta-feira, as provas da 2ª fase (distrital) do Concurso Nacional de Leitura - 2012/2013.
A iniciativa, que tem como propósito fundamental estimular a leitura e desenvolver competências de expressão escrita e oral junto dos alunos, contou com a participação de 31 alunos do 3º ciclo do Ensino Básico e 12 alunos do Ensino Secundário, oriundos de 12 escolas do distrito, que se fizeram representar por 23 professores.
A prova oral foi dirigida por Jorge Serafim. 



Do júri faziam parte a vereadora da cultura da Câmara Municipal de Cuba, Maria Teresa Calado, a professora- escritora Ana Paula Figueira e o jornalista Pedro Sousa Tavares, co-autor da obra, a concurso, Os ciganos. 












Os alunos apurados na 1ª fase (nível de escola) da Escola Secundária de Moura (Alex Seixas, Inês Cardoso e Tiago Barradas - 3ºciclo) e (Inês Limpo, Miguel Valente e Rita Ramalho - ensino secundário) fizeram-se acompanhar pelas professoras Lucília Picareta e Maria da Luz Rosinha.
Enquanto os alunos resolviam a prova escrita, os acompanhantes visitaram o Centro Cristóvão Colon. Posteriormente, todos visitaram a Igreja Matriz da vila.
Apesar de nenhum dos nossos alunos ter sido selecionado para a fase final (nacional), todos tiveram um ótimo desempenho, estando a escola orgulhosa da sua participação.

Muitos parabéns a todos e continuação de BOAS LEITURAS! 












Agradecemos também a colaboração da Câmara Municipal de Moura na cedência do transporte.

ALUNOS APURADOS - FASE FINAL



3º Ciclo: 
José PalmaEscola Básica e Secundária de São Sebastião de Mértola.

Ensino Secundário:
Cláudia Sintra Escola Secundária D. Manuel I de Beja.

Obras de Leitura Obrigatória
3º ciclo


Ensino Secundário


terça-feira, 23 de abril de 2013

DIA MUNDIAL DO LIVRO


Hoje celebra-se o Dia Mundial do Livro e como não poderia deixar de ser prestamos um tributo a estes verdadeiros mundos de sonhos, fantasias e imaginação, com um poema de José Jorge Letria. Porque a leitura é o verdadeiro alimento da alma! Boas leituras!



Os livros


Apetece chamar-lhes irmãos,
tê-los ao colo,
afagá-los com as mãos,
abri-los de par em par,
ver o Pinóquio a rir
e o D. Quixote a sonhar,
e a Alice do outro lado
do espelho a inventar
um mundo de assombros
que dá gosto visitar.
Apetece chamar-lhes irmãos
e deixar brilhar os olhos 
nas páginas das suas mãos.

"Pela casa fora", José Jorge Letria

POESIA DA SEMANA

Continuamos em FELICIDADE, com mais uma poesia de Fernando Pessoa.





Feliz Dia para Quem É

Feliz dia para quem é
O igual do dia,
E no exterior azul que vê
Simples confia!

Azul do céu faz pena a quem
Não pode ser
Na alma um azul do céu também
Com que viver

Ah, e se o verde com que estão
Os montes quedos
Pudesse haver no coração
E em seus segredos!

Mas vejo quem devia estar
igual do dia
Insciente e sem querer passar.
Ah, a ironia

De só sentir a terra e o céu
Tão belo ser
Quem de si sente que perdeu
A alma p´ra os ter!

Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"

                                                     








terça-feira, 16 de abril de 2013

POESIA DA SEMANA


Neste tempo primaveril, deixamo-vos esta linda poesia da autoria de Ricardo Reis.


 
Aos que a Felicidade é Sol, Virá a Noite

 Quero ignorado, e calmo
Por ignorado, e próprio
Por calmo, encher meus dias
De não querer mais deles.

Aos que a riqueza toca
O ouro irrita a pele.
Aos que a fama bafeja
Embacia-se a vida.

Aos que a felicidade
É sol, virá a noite.
Mas ao que nada 'spera
Tudo que vem é grato.


   Ricardo Reis, in "Odes"
  Heterónimo de Fernando Pessoa

POESIA DA SEMANA



que a Felicidade é Sol, Virá a Noite

Quero ignorado, e calmo
Por ignorado, e próprio
Por calmo, encher meus dias
De não querer mais deles.

Aos que a riqueza toca
O ouro irrita a pele.
Aos que a fama bafeja
Embacia-se a vida.

Aos que a felicidade
É sol, virá a noite.
Mas ao que nada 'spera
Tudo que vem é grato.


   Ricardo Reis, in "Odes"
  Heterónimo de Fernando Pessoa

segunda-feira, 15 de abril de 2013

LIVRO DA SEMANA

Esta semana sugerimos a leitura da obra: O que é a Felicidade? -  texto de Oscar Brenifier e ilustrações Catherine Meurisse.
 
 

 
Em "O que é a Felicidade?" há seis grandes questões para jogar com as ideias e ver para além das aparências:

-Como é que sabes que és feliz?
-É fácil ser feliz?
-Deves procurar a felicidade a qualquer preço?
-O dinheiro traz felicidade?
-Precisas dos outros para ser feliz?
-Por que é que às vezes somos infelizes?

MESES (DES)ENCANTADOS



Mês de Abril (sobre a Felicidade) 



Frases que Contracenam - " Na Ponta dos Gestos"


          Abril começou chuvoso e alagou a escola de Felicidade: espalhou pensamentos para refletir, ideias para discutir, poemas para sentir e receitas para cumprir. Tudo pela Felicidade! Tudo pelo bem-estar! Tudo para encorajar os seus alunos às batalhas a travar neste último período (testes, trabalhos finais, exames!!!); para os salvar da desesperança; para os incitar a nunca desistirem de ser felizes, pois a vida, no dizer do poeta Fernando Pessoa,“é um espetáculo imperdível, ainda que se apresentem dezenas de fatores a demonstrarem o contrário”.









quarta-feira, 10 de abril de 2013

POEMA DA SEMANA

Nesta semana, em que a FELICIDADE continua a brilhar, deixamo-vos este lindo poema de Vinicius de Moraes.

Por favor, sejam felizes!




A Felicidade

       Tristeza não tem fim
      Felicidade sim

      A felicidade é como a pluma
      Que o vento vai levando pelo ar
      Voa tão leve
      Mas tem a vida breve
      Precisa que haja vento sem parar

      A felicidade do pobre parece
      A grande ilusão do carnaval
      A gente trabalha o ano inteiro
Por um momento de sonho
Pra fazer a fantasia
De rei ou de pirata ou jardineira
Pra tudo se acabar na quarta-feira

Tristeza não tem fim
Felicidade sim

A felicidade é como a gota
De orvalho numa pétala de flor
Brilha tranquila
Depois de leve oscila
E cai como uma lágrima de amor

A felicidade é uma coisa boa
E tão delicada também
Tem flores e amores
De todas as cores
Tem ninhos de passarinhos
Tudo de bom ela tem
E é por ela ser assim tão delicada
Que eu trato dela sempre muito bem

      Tristeza não tem fim
Felicidade sim

                                                 Vinicius de Moraes