Boletim da BE

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Autor do mês de novembro de 2014

Almeida Garrett
João Leitão da Silva nasceu a 4 de fevereiro de 1799, na antiga Rua do Calvário, n.ºs 18, 19 e 20 (atual Rua Dr. Barbosa de Castro, n.ºs 37, 39 e 41), na freguesia da Vitória, no Porto, filho segundo de António Bernardo da Silva, selador-mor da Alfândega do Porto, e de Ana Augusta d'Almeida Leitão. Passou a sua infância, altura em que alterou o seu nome para João Baptista da Silva Leitão, acrescentando o sobrenome Baptista do padrinho e trocando a ordem dos seus apelidos, na Quinta do Sardão, em Oliveira do Douro (Vila Nova de Gaia), pertencente ao seu avô materno José Bento Leitão. Mais tarde, viria a escrever a este propósito: "Nasci no Porto, mas criei-me em Gaia". No período de sua adolescência foi viver para os Açores, na ilha Terceira, quando as tropas francesas de Napoleão Bonaparte invadiram Portugal e onde era instruído pelo tio, D. Alexandre, bispo de Angra. De seguida, em 1816 foi para Coimbra, onde acabou por se matricular no curso de Direito. Em 1818 adoptou em definitivo os apelidos Almeida Garrett (Garrett seria o apelido da sua avó paterna, que tinha vindo para Portugal no séquito de uma princesa), pelos quais ficou para sempre conhecido, passando a assinar-se João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett. Em 1821 publicou O Retrato de Vénus, trabalho que fez com que fosse processado por ser considerado materialista, ateu e imoral, tendo sido absolvido. Da sua vastíssima obra, que compreende poesia, romances, cancioneiros, contos, artigos, ensaios, biografias, cartas, ensaios, discursos e folhetos, podemos destacar: • 1819 Lucrécia • 1820 Mérope (não chegou a ser representada) • 1821 O Retrato de Vénus; Catão (representado a 29 de setembro, no Teatro do Bairro Alto, a S. Roque); • 1822 O Toucador • 1825 Camões • 1826 Dona Branca • 1828 Adozinda • 1829 Lírica de João Mínimo; Da Educação (ensaio) • 1830 Portugal na Balança da Europa (ensaio) • 1838 Um Auto de Gil Vicente (representado no teatro Nacional da rua dos Condes) • 1841 O Alfageme de Santarém (1842 segundo algumas fontes; representado no teatro Nacional da rua dos Condes) • 1843 Romanceiro e Cancioneiro Geral - tomo 1; Frei Luís de Sousa (representado no teatro particular da Quinta do Pinheiro) • 1845 O Arco de Sant'Ana - tomo 1; Flores sem fruto • 1846 Viagens na minha terra; D. Filipa de Vilhena (inclui Falar Verdade a Mentir e Tio Simplício; representada no teatro da rua do Salitre, por alunos do Conservatório Dramático) • 1848 As profecias do Bandarra; Um Noivado no Dafundo; A sobrinha do Marquês • 1849 Memória Histórica de J. Xavier Mouzinho da Silveira • 1850 O Arco de Sant'Ana - tomo 2; • 1851 Romanceiro e Cancioneiro Geral - tomos 2 e 3 • 1853 Folhas Caídas • 1871 Discursos Parlamentares e Memórias Biográficas (antologia póstuma) in http://pt.wikipedia.org/wiki/Almeida_Garrett